Em virtude disso, as doenças dos idosos têm se tornado objeto de preocupação e estudos e vêm recebendo bastante prestígio na clínica de pequenos animais, em virtude disso, as doenças dos idosos têm se tornado objeto de preocupação e estudos e vêm recebendo bastante prestígio na clínica de pequenos animais.

Durante muito tempo a DRC (doença renal crônica) foi considerada como a doença do animal velho, diagnóstico era data pela prostração, vômito e inapetência, eram identificados quando ureia e creatinina aumentados por um período igual ou superior a três meses.

Estágios mais avançado da doença

  • Poliúria
  • Polidipsia
  • e ainda emagrecimento

Estes animais eram então diagnosticados e os clínicos orientavam, os responsáveis por seus pacientes, a manterem estes animais em casa e retornarem quando eles voltassem a apresentar-se prostrados, com vômito e inapetentes.

Na verdade é assim que ainda aprendemos em muitos livros e é assim que muitos clínicos ainda tratam a DRC, só que muita coisa mudou, pelo fato dos animais idosos terem se tornado um personagem frequente nos consultórios, as doenças dos idosos se tornaram de grande interesse do clínico, exemplo disso é a evolução da cardio, onco etc. Mas, porque os animais tem vivido mais?

Esta é uma história que remonta há cerca de 40 anos, onde iniciaram-se importantes ações, tanto por parte dos clínicos, quanto por parte de empresas da área da veterinária, melhorando a conscientização da população, em relação a importância da “posse responsável”.

Importantes orientações dos cuidados com os filhotes permitiram que problemas, como:verminoses, viroses, má nutrição, comuns daquela época fossem melhor entendidos e evitados pelos tutores, responsáveis e comprometidos.

Por isto, os animais deixaram de morrer jovens, com a frequência que ocorria e passaram a adultos saudáveis e idosos com idades cada vez mais avançadas, Este trabalho de conscientização foi beneficiado também por outros fatores, as famílias diminuem em número de indivíduos, permite que os animais de companhia se tornassem um ente familiar. Saem do fundo dos quintais e entram para dentro de casa, para cima da cama para dentro dos corações das pessoas.

Outro ponto importante, melhora do poder aquisitivo, Fornecem uma dieta rica e bem balanceada,Permitindo aos aimais saúde e longevidade, agora, se uma pessoa cuidou tão bem de seu animal durante toda a vida, porque não iria cuidar da mesma forma na velhice?

Aliando a afetividade, o poder aquisitivo e a informação cria-se uma sociedade decidida e exigente, sem dúvida alguma a DRC entra neste cenário a DRC é o retrato de todo este contexto e exige, de nós médicos veterinários, o conhecimento para atendermos as exigências desse paciente e dessa sociedade atenta, e é por isso que não podemos mais deixar estes animais abandonados no fundo do quintal, não podemos mais negligenciar as possibilidades de criarmos condições que permitam qualidade de vida e longevidade a este paciente.

É isto que a sociedade espera de nós, é isto que a sociedade espera de você, temos muito o que fazer por estes animais e é isto que discutiremos nos diversos episódios da temporada do paNpa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *